top of page
Imagem whatsapp Dias Abertos '24 Mina e Lisboa.png
VAGABUNDAS
Residência Artística '24 
teatro e performance

Nos dias 30 de maio e 2 de junho decorrem os Dias Abertos, uma oportunidade para ficar a conhecer os trabalhos desenvolvidos

pelas artistas, fruto da pesquisa e criação com a

comunidade da Mina de S. Domingos 

  • ​30 maio às 18h - Cineteatro da Mina de S.Domingos | Mértola 

  • 2 de junho às 17h - Penha Sco - Arte Cooperativa ​| Lisboa - inclui debate com as artistas e com o painel de júri deste ano: as artistas convidadas Ana Borralho, Raquel André e Inês Achando (Cepa Torta)

Durante o mês de maio as artistas Margarida Azevedo e Vera Santana puderam desenvolver as suas propostas na Mina de S. Domingos, Mértola. No fecho desta Residência há agora lugar à partilha dos trabalhos desenvolvidos fruto da pesquisa e criação com a comunidade da Mina de S. Domingos e também aproveitar o momento para debater os desafios inerentes à criação no feminino em comunidades onde a desertificação cultural e social são uma realidade.

 

Estes Dias Abertos serão realizados no local onde decorreu a Residência e em Lisboa, potenciando o cruzamento das duas frentes: a valorização da presença feminina na criação artística fazendo, em simultâneo, a ligação dos dois locais de maior e menor acesso às artes e à diversidade cultural, no interior do país - a Mina de S. Domingos - e a capital.

Conheça as várias etapas deste Programa

Durante o mês de março decorreu a Open Call VAGABUNDAS com o objetivo de selecionar duas artistas portuguesas ou residentes em Portugal, para a atribuição de uma bolsa e residência artística na Mina de S. Domingos, concelho de Mértola, e terra natal de Mercedes Blasco

Recebemos este ano 24 candidaturas e coube ao nosso júri, que este ano contou com a participação das artistas Ana Bugalho, Raquel André e Inês Achando, a difícil tarefa de escolher os dois projetos vencedores desta edição VAGABUNDAS.

 

Foram seleccionadas as artistas Margarida Azevedo e Vera Santana, com os projetos “Alma Lavra” e “PAPOILAS”, respectivamente.

 

Com o projeto “Alma Lavra”, Margarida Azevedo pretende dar a conhecer a realidade das mulheres do interior do país a partir de contos e fotografias, que resultam de retratos e entrevistas a quem vive diariamente o interior. O envolvimento da comunidade local é crucial para que “Alma Lavra” seja um projeto que alimenta a discussão pública sobre a dicotomia interior/litoral e o papel da mulher.

 

“PAPOILAS” de Vera Santana é uma proposta multidisciplinar que procura promover o desenvolvimento da memória feminina da comunidade da Mina S. Domingos. Desde a recolha de histórias verídicas, a uma exploração de emoções sobre essas memórias que, se vão moldando, consoante os fatores demográficos, até ser explorada através de uma linguagem artística teatral, e finalizada com a experiência da partilha com a comunidade.

 

Durante o mês de maio estas artistas estão em residência na Mina de S. Domingos, tirando partido deste lugar inspirador e da generosidade das suas gentes, e com as condições necessárias para desenvolver os seus projetos criativos, condições essas que muitas ainda condicionam o trabalho das mulheres artistas no nosso país.

Margarida Azevedo (1).png

Margarida Azevedo

Projeto "Alma Lavra"

DSCF1835_facebook∏Filipe Ferreira_edited.jpg

Vera Santana

Projeto "PAPOILAS"

CONHEÇA O JÚRI DESTA EDIÇÃO

O QUE É A RESIDÊNCIA DE CRIAÇÃO VAGABUNDAS?

VAGABUNDAS é uma residência artística de criação que tem como objetivo promover a criação artística no feminino e na interseção com o desenvolvimento de trabalho artístico descentralizado em particular em comunidades com problemas de desenvolvimento e desertificação.

Com uma periodicidade anual, esta residência inspira-se na história de Mercedes Blasco, um dos muitos pseudónimos de Conceição Vitória Marques, e no nome da sua obra literária mais conhecida “Vagabunda”, um diário de memórias da mulher e da artista. Reconhecer a sua importância e tê-la como inspiração é reforçar a sua existência, o seu legado e dar a relevância política que, em vida, Mercedes não teve. 

A QUEM SE DESTINA?

 

Artistas de nacionalidade portuguesa ou residentes em Portugal, maiores de idade, que se identifiquem com o género feminino, sejam cisgénero ou transgénero.

O QUE OFERECEMOS?

  • Residência artística de criação, investigação e pesquisa com a duração de um mês, de 1 a 31 de maio de 2024, na Mina de S. Domingos, para duas artistas selecionadas através de open call;

  • Bolsa de criação no valor de 1000€ (mil euros), para cada artista selecionada; 

  • Espaço de trabalho partilhado na Mina de S. Domingos; 

  • Alojamento e ajudas de custo para alimentação e deslocações para o período de residência na Mina de S. Domingos (1 mês) e de estadia em Lisboa (3 dias), no valor total de 600€ (seiscentos euros).

  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon
  • Black Youtube Icon
bottom of page