top of page
ENG22_FB_Cover-05.png
Estanoitegritase_issonaoerelevante_SoniaGodinho_4859 copy.jpg

GALERIA DE IMAGENS

Entre outubro e dezembro voltamos a celebrar o texto teatral em todo o seu esplendor, nesta que é a 6ª temporada do festim Esta Noite Grita-se e onde, à semelhança de um banquete, se come, se bebe e se degusta a palavra.

 

Esta temporada abrange um ciclo de leituras interpretadas de 5 textos de teatro e a 2ª Edição do Prémio Nova Dramaturgia de Autoria Feminina, para além de oficinas de leitura para jovens e novos lançamentos no Podcast do Esta Noite Grita-se.

CALENDÁRIO

ENG22_Agenda-site.png
calendário

BILHETEIRA

Para as leituras que ocorrerão nas BLX (outubro) poderá adquirir o bilhete online AQUI ou localmente no dia de cada leitura Pode ainda reservar através de producao@cepatorta.org / (+351) 924 744 048

Para as leituras que ocorrerão no CCB (novembro) poderá adquirir o bilhete online AQUI ou localmente na bilheteira do CCB no seguinte horário : segunda a domingo das 11:00 às 20:00 

Tel: (+351) 21 361 26 27 (a partir das 13:00) /  bilheteiraccb@ccb.pt 

 

Para as leituras que ocorrerão no TNDMII (dezembro) a entrada é livre mediante levantamento de bilhete, na Bilheteira do Teatro, a partir de uma hora antes do início da sessão. Sujeito à lotação da sala.

CLASSIFICAÇÃO ETÁRIA

 M/14 - Classificação etária global para o Festim Esta Noite Grita-se

OFICINA DE LEITURA DE TEXTOS DE TEATRO PARA JOVENS

As oficinas de leitura que decorrerão na Biblioteca de Marvila são de entrada livre, mediante inscrição através dos seguintes contactos: producao@cepatorta.org | (+351) 924 744 048

As oficinas destinam-se a jovens com idades compreendidas entre os 10 e os 18 anos e decorrem entre as 10:00 e as 13:00 dos dias 29 e 30 de outubro.

Oficinas
Filho do Mei

ESTRUTURA CONVIDADA - "FILHO DO MEIO"

A programação deste ano é completada pela estrutura convidada Filho do Meio, que desde 2016 se dedica à investigação e divulgação das obras de Shakespeare junto do público português, com o principal objetivo de as tornar acessíveis a todos, independentemente do seu grau de conhecimento, familiaridade ou interesse pelas obras. 

 

Com o ciclo “Três Comédias, Três Tragédias”, através do qual se planificam leituras encenadas, workshops, espetáculos e digressões, constrói-se um património de pensamento e uma linguagem comum à companhia e ao público. 

 

É desta forma que a companhia tem afirmado a sua identidade: Noite de Reis em 2017, Sonho de Uma Noite de Verão em 2018, Muito Barulho Por Nada em 2019, Hamlet em 2020 (o primeiro espectáculo do ciclo que beneficiou de apoio da Fundação GDA e da Fundação Gulbenkian) e Romeu & Julieta em 2021. Em 2022, a companhia recebeu o Prémio de Teatro Carlos Avilez, da Fundação Mirpuri, pelos seus seis anos de trabalho. 

 

O trabalho da companhia, que tem sido recebido e acompanhado com manifesto interesse, opera numa certeza que nunca será ultrapassada — a de que os textos clássicos congregam um conhecimento intemporal da Humanidade e que a disponibilidade para os receber não depende do grau de escolaridade, mas sim da capacidade do artista em adaptar-se a quem os recebe. 

 

Este modelo criativo, emergente e dinamizador, de apresentar teatro de repertório, criado através de um trabalho tanto presencial como virtual, permite-nos a captação de novos e diferentes públicos, despertando a curiosidade sobre os próprios sentidos e conquistando a riqueza do seu imaginário.

 

Os artistas aprendem a confiar na linguagem, e o público, por sua vez, desfruta o prazer de descobrir porque Shakespeare se tornou num incontornável clássico teatral.

 

Ao Esta Noite Grita-se, trazem Noite de Reis, de William Shakespeare, sob direção artística de Luís Moreira.

 

De 28 a 30 de outubro, nas Bibliotecas Palácio Galveias, Alcântara e Marvila.

Em 2022 Luís Moreira, encenador e fundador da companhia Filho do Meio recebeu o Prémio de Teatro Carlos Avilez da Mirpuri Foundation. Saiba mais aqui 

PRÉMIO NOVA DRAMATURGIA DE AUTORIA FEMININA

Sobre o Prémio

 

De acordo com o International Centre for Women Playwrights, ONG que se dedica ao estímulo do trabalho das mulheres dramaturgas, 70% das peças produzidas anualmente no mundo são de autoria masculina. Na edição de obras o número ainda desce mais - em Portugal estimamos que menos de 15% dos textos editados são de mulheres. Este panorama em nada favorece a diversidade e a riqueza da produção artística, impedindo a inovação trazida pelo olhar feminino de criadoras que, sem um estímulo adequado, continuam a estar arredadas dos circuitos necessários para a divulgação das suas obras. Na direção artística do Esta noite grita-se temos tido dificuldades em fazer um equilíbrio do género autoral porque as opções de escolha são muito reduzidas no que toca a dramaturgas. Somente através do estímulo à criação será possível mudar esta realidade e garantir que mais mulheres artistas arriscam e publicam os seus trabalhos. 

 

O Prémio Nova Dramaturgia de Autoria Feminina é dirigido a autoras com ou sem trabalhos publicados ou apresentados publicamente, e premiará anualmente um texto inédito. Com este prémio pretende-se promover, reconhecer e divulgar a dramaturgia de autoria feminina em língua portuguesa.

A 2ª Edição

Entre julho e setembro, as 3 autoras finalistas seleccionadas entre mais de 120 textos tiveram a oportunidade para  discutir e trabalhar as obras apresentadas com o acompanhamento de um dos elementos do júri, que nesta segunda edição foi constituído por: Patrícia Portela, Joana Craveiro e Francisco Frazão.

Saiba quem foram as finalistas aqui.

A vencedora da 2ª edição foi Maria Giulia Pinheiro, com o texto Isso não é Relevante.

Patrícia Portela, membro do Júri da 2ª Edição do Prémio Nova Dramaturgia Feminina, juntamente com Joana Craveiro e Francisco Frazão descreve o texto "Isso não é relevante" como um convite a ouvir o que pensamos e não conseguimos dizer. Ou a dizer o que não pensamos mas estamos a fazer. Escrito num protocolo muito próprio que oscila entre o subtexto e o lugar-comum, a velocidade e a dúvida, este texto desconcertante obriga-nos a fazer sentido do que não percebemos e a reparar no absurdo de certas convicções que todos partilhamos, aqui e ali, nos momentos mais inconvenientes. 
Começando numa simples mesa de um restaurante ou de um café, reclamando de uma voz que se encontrou na sopa como quem encontra um cabelo sujo numa ideia brilhante, as personagens expõem as suas ansiedades, e tentam ocupar os (não) lugares que não lhes pertencem, a sua vontade de mudança, as suas inibições, as suas ideias feitas.

As candidaturas estiveram abertas entre 1 de Janeiro e 31 de Março de 2022, tendo sido escolhidas 3 autoras finalistas seleccionadas entre mais de 120 textos, que tiveram a oportunidade de discutir e trabalhar as obras apresentadas com o acompanhamento de um dos elementos do júri. A vencedora Maria Giulia Pinheiro teve o acompanhamento de Patrícia Portela.

De recordar que Lara Mesquita foi a vencedora da primeira edição deste prémio, em 2021, com a peçaSempre que Acordo.

A obra vencedora será divulgada no dia 1 de outubro e resultará num prémio de 750 € para a autora, será incluída na programação do Esta noite grita-se, com leitura pública nos dias 3 e 4 de dezembro no Salão Nobre Ageas do Teatro Nacional D.Maria II e editada em livro, graças à parceria com a editora Douda Correria.

De 1 de Janeiro a 31 de Março de 2022 estiveram abertas as candidaturas para a 2ª edição do Prémio Nova Dramaturgia de Autoria Feminina, do Esta noite grita-se / Companhia Cepa Torta, em parceria com a editora Douda Correria.

 

O concurso foi aberto a todas as pessoas singulares, maiores de idade, que se identificassem com o género feminino, sejam cisgénero ou transgénero, que propusessem uma obra dramatúrgica inédita e nunca representada.

Foto Giulia_edited.png

Sobre a autora

Maria Giulia Pinheiro é estudiosa da palavra (escrita e falada). Criou e coordena o Núcleo de Dramaturgia Feminista que desde 2020 passou a ser online e conta, a partir de então, com mais de 9 turmas em que já passaram mais de 300 pessoas de 7 países. Em 2021, lançou o álbum “RãCô”, premiado pelo Fundo Municipal de Cultura de São José dos Campos. Em 2020 ficou em 4 lugar na Copa do Mundo de Poetry Slam (La Coupe du Monde | Grand Poetry Slam), representando Portugal. Em 2019, estreou o espetáculo de palavra falada “A Palavra Mais Bonita”, que desde então circula os países de línguas portuguesas.

 

Mais em www.mariagiuliapinheiro.com
 

©Luana Cavalcante
 

premio2022
ENG22_FB_Profile-02.png

EQUIPA

Direção Artística

Miguel Maia
e Filipe Abreu

Apoio Curadoria

Graça Maia

Produção

Inês Achando

Assistente

Produção 

Beatriz Sousa

Comunicação

Sónia Godinho

Assessoria de Imprensa

Rita Bonifácio 

 

Fotografia

Sónia Godinho

Vídeo

​Mário Jerónimo Negrão

Design Gráfico

Edoardo Trave

Uma produção da Companhia Cepa Torta

ENG22_Apoios-Site.png
  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon
  • Black Youtube Icon
bottom of page